PDA

Ver Versão Completa : Geopolítica O ataque em Toulouse e o antissemitismo malandro



nigo
19/03/2012, 16:20
O ataque em Toulouse e o antissemitismo malandro

Um homem matou a tiros três crianças numa escola judaica (http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,tres-criancas-e-um-adulto-morrem-durante-tiroteio-em-escola-na-franca,850362,0.htm) de Toulouse, na França. O pai de duas das crianças também foi morto. Não se sabe ainda quem é o assassino nem quais eram suas motivações, mas parece claro que se trata de um ataque contra judeus.


As terríveis circunstâncias desse episódio são menos importantes, no entanto, do que algumas das reações a ele. No site do jornal israelense Haaretz (http://www.haaretz.com/news/diplomacy-defense/four-killed-in-shooting-at-jewish-school-in-france-1.419507), há leitores que conseguiram concluir que as crianças mortas “pagaram o preço das políticas de Israel”. Ou seja: é quase como se dissessem que essas crianças, por serem judias, mereciam morrer, uma vez que o Estado que as representaria, como entidade nacional, é a própria encarnação do Diabo. De acordo com essa lógica, os judeus do mundo todo não poderão se queixar se, eventualmente, forem alvo de uma campanha de extermínio.


Esse tipo de raciocínio faz lembrar a famosíssima “profecia (http://www1.yadvashem.org/about_holocaust/documents/part1/doc59.html)” de Hitler, feita em 30 de janeiro de 1939. Em discurso ao Reichstag, ele disse que, “se os banqueiros judeus internacionais, dentro e fora da Europa, conseguirem atirar as nações mais uma vez numa guerra mundial, então o resultado não será a bolchevização da Terra, e por conseguinte a vitória da Judiaria, mas a aniquilação da raça judaica na Europa”. Ou seja: Hitler atribuiu às próprias vítimas a responsabilidade pela guerra que ele mesmo estava provocando e pelo genocídio que ele mesmo empreenderia pouco tempo depois.


Hoje o antissemitismo malandro não se escora mais, ou não somente, na perversidade dos “banqueiros judeus internacionais”. Ele se escora no que se convencionou chamar, genericamente, de “políticas assassinas” de Israel – um rótulo frouxo o bastante para que não seja possível discuti-lo seriamente e que, de tantas vezes repetido, soa como uma verdade incontestável.


http://blogs.estadao.com.br/marcos-guterman/o-ataque-em-toulouse-e-o-antissemitismo-malandro/

carabina
19/03/2012, 20:51
ainda bem que não temos isso aqui no Brasil.
agora deixa eu ir pra fila do hospital.

Harpia
20/03/2012, 08:00
Parece que o mesmo cara atacou soldados de origem muçulmana, se confirmado, me pareceria mais um caso xenofobia que ataques contra judeus ou muçulmanos.