PDA

Ver Versão Completa : Empresários já financiaram campanha de Heloísa Helena



bombacha
05/09/2006, 23:28
A candidata à presidência Heloísa Helena (PSOL) deixa claro que não aceitará doações de empresários nem banqueiros nestas eleições e que a campanha será financiada somente com doações dos eleitores. No entanto, não foi sempre assim. Na sua candidatura de 1998, quando foi eleita senadora pelo Estado de Alagoas, Heloísa Helena recebeu R$ 5 mil em doações de empresas.

Segundo documento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Alagoas, a campanha de Heloísa Helena ao Senado arrecadou cerca de R$ 43,7 mil em doações. Em 1998, quase metade dessa verba veio do Partido Socialista Brasileiro (PSB), que repassou aproximadamente R$ 21 mil para a candidata.

Das empresas doadoras, a Construtora Chistiano Cintra, de propriedade de um dos diretores do Sindicato da Indústria da Construção do Estado de Alagoas, e a Sistema Engenharia, foram responsáveis pela maior parte das doações. Juntas, deram R$ 4 mil à candidatura de Heloísa Helena ao Senado.

No caso de Chistiano Cintra, não foi apenas a sua empresa que fez doações à campanha de Heloísa Helena. O empresário repassou, como pessoa física, mais de R$ 5 mil para colaborar com a parlamentar. Ao todo, Cintra foi responsável por quase 20% do total de doações feitas à candidatura de Heloísa Helena em 1998. Para ver lista dos que doaram para a campanha de Heloísa Helena em 1998, clique aqui (http://contasabertas.uol.com.br/noticias/imagens/Heloisa_helena_doadores.jpg).

Para as eleições deste ano, o empresário informou que não poderá colaborar, já que a empresa passa por dificuldades financeiras. No entanto, se os negócios da Construtora Chistiano Cintra vão mal, o mesmo não se pode dizer dos bens de Heloísa Helena. Hoje, o patrimônio da senadora é 40 vezes maior do que o declarado ao TRE de Alagoas em 1998.

Segundo o documento do TRE, no ano em que foi eleita senadora, a parlamentar declarou possuir somente um automóvel modelo Gol 1.0 no valor de R$ 3.000. Este ano, a candidata à presidência declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um patrimônio de R$ 121,1 mil. Do carro 1.0, Heloísa evoluiu para um Fiat Pálio quatro portas no valor de R$ 23,2 mil e um Jipe Suzuki 2002/2003 avaliado em R$ 62,2 mil. Para ver a declaração de bens de Heloísa Helena de 1998, clique aqui (http://contasabertas.uol.com.br/noticias/imagens/hhbens.jpg).

O assessor de imprensa da senadora, Luiz Araújo, explica que a mudança de postura quanto ao financiamento de campanha foi uma decisão do partido “para manter a coerência com a proposta de financiamento público defendida pelo PSOL”. Até agora, o comitê financeiro nacional para presidente da república do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) arrecadou R$ 105 mil para a campanha de Heloísa Helena, segundo declaração que consta no site do TSE.

Segundo dados do tribunal, a receita total declarada pelo comitê financeiro de Geraldo Alckimin (PSDB) para a campanha é quase R$ 1,2 milhão superior ao arrecadado até hoje para a candidata do PSOL. Os valores informados pelo comitê financeiro do Partido dos Trabalhadores (PT) ao TSE também são bem superiores aos do PSOL. Os cerca de R$ 5,6 milhões, receita total do comitê financeiro do PT até agora, são superiores em quase R$ 600 mil que o previsto pelo PSOL para a campanha de Heloísa Helena este ano, R$ 5 milhões.

Para Araújo a falta de verbas não chega a ser um problema tão grande para a candidata.
“A Heloísa é uma opção para a população insatisfeita com o atual governo. Porém, ao contrário de Alckmin, não é preciso uma campanha milionária para convencer alguém a votar em Heloísa Helena”, afirma. Para ele, o carisma e os ideais da candidata são as principais explicações para o crescimento de Heloísa Helena nas pesquisas.

No ano em que foi eleita ao Senado, Heloísa Helena conseguiu ganhar de adversários que receberam valores em doações bem superiores aos repassados à sua campanha. A parlamentar venceu, por exemplo, o candidato do Guilherme Gracindo (PFL) que recebeu R$ 170 mil de empresas.

Este ano, a candidata está à frente de adversários que possuem verba para campanha superior à dela. O comitê financeiro nacional para presidência da república do Partido Democrático Trabalhista (PDT), do candidato Cristóvam Buarque, declarou ter uma receita total de R$ 150 mil para a campanha até o momento. Segundo pesquisa Datafolha de 29 de agosto, Cristóvam Buarque está nove pontos atrás de Heloísa Helena.

O cientista político da Universidade de Brasília Lúcio Rennó acredita que a atitude de Heloísa Helena fortalece a sua imagem como uma candidata independente. “Com as críticas que ela faz a banqueiros e empresários não seria muito coerente receber dinheiro desses grupos para sua campanha”, comenta.

No entanto, Rennó lembra que financiar a campanha apenas com doações de eleitores pode ser uma atitude prejudicial à candidatura. “A campanha financiada dessa maneira é mais transparente. No entanto, se a candidata não arrecadar o suficiente para poder viajar e divulgar as suas idéias, acho que não valerá tanto à pena”. Segundo última pesquisa do Datafolha, a candidata do PSOL perdeu cerca de 1% da intenção de voto e hoje conta com 10% do eleitorado que declarou em quem votará.

Caroline Olinda
Do Contas Abertas


31/8/2006

http://contasabertas.uol.com.br/noticias/detalhes_noticias.asp?auto=1487

+++++
Sem contar que em 2002 essa esperta fechou aliança com quis e destruiu o palanque do Lula; prova disso é que o menor percentual do Lula foi em Alagoas. Depois falam que essa monstra é coerente...