PDA

Ver Versão Completa : O ataque às privatizações



bombacha
22/10/2006, 02:39
Luiz Carlos Mendonça de Barros, Folha de S. Paulo (20/10/06)

Lula apropria-se de forma ilegítima dos resultados da privatização da Telebrás, mas diz que não a teria privatizado

O PRESIDENTE Lula vem atacando as privatizações realizadas no período FHC e tentando criar um clima de terrorismo em relação a um eventual governo Alckmin. Em um crescendo retórico, disse, entre outras coisas, que ele não teria privatizado a Vale do Rio Doce e o Sistema Telebrás. Sinto-me na obrigação de trazer essas discussões ao nível da racionalidade e da verdade, para permitir o bom debate sobre essa questão. Afinal, todos nós, brasileiros, vivemos hoje sob o impacto de mudanças radicais na organização do Estado brasileiro, realizadas por três governos, e não apenas do presidente Fernando Henrique, ao longo da última década do século passado.

Tomemos o caso da Telebrás, item no qual as incongruências de Lula são as mais gritantes. Ele diz em público que não teria privatizado o antigo monopólio de telefonia no Brasil, mas, em seu programa eleitoral, apresenta o aumento do número de celulares entre 2003 e hoje como uma das grandes realizações de seu governo. Apropria-se de forma ilegítima dos resultados da privatização da Telebrás, mas diz que não teria privatizado a empresa. Não explica que o sucesso que o Brasil pode apresentar ao mundo, ao ter um dos sistemas mais competitivos e com abrangência social de telefonia privada hoje existente, é fruto da decisão corajosa tomada em 1996 pelo presidente FHC.

Mas quero aproveitar este encontro com o leitor da Folha para relembrar aspectos importantes do processo de privatização do mercado de telefonia no Brasil. E uso a expressão "privatização do mercado de telefonia" porque não foi apenas a empresa estatal Telebrás que foi privatizada por Fernando Henrique: foi todo o mercado de telecomunicações, incluindo a internet e outros serviços. Um episódio de bastidores ilustra bem a riqueza desse processo.

Em 1995, quando meu grande amigo e brasileiro Sérgio Motta foi nomeado ministro das Comunicações, ele era um apaixonado defensor do monopólio estatal. Essa convicção estava ligada a seus valores de homem de esquerda e ardoroso defensor da presença do Estado na economia. Mas Sérgio era antes de tudo um homem do mundo real. Por isso, quando recebeu um relatório sobre o universo dos proprietários de telefone no Brasil, ficou chocado com o que viu: 88% dos telefones fixos e 100% dos celulares em operação no Brasil pertenciam a brasileiros das classes A e B. "Monopólio estatal para os ricos", disse ele, "não faz sentido em um mundo em que o telefone é, antes de tudo, um instrumento de trabalho e de ascensão econômica e social."

Nascia, nesse momento, o ministro que iria comandar, com sua energia e eficiência, um dos mais exitosos processos de transformação de um monopólio público em um mercado privado com metas sociais. Da mesma forma que Sérgio entendeu que a Telebrás, então controlada por um Estado sem capacidade de investimentos, não permitiria o aparecimento de um sistema de telecomunicações eficiente e justo, também sabia que, se deixada ao sabor da racionalidade privada pura, os segmentos mais pobres e necessitados da população poderiam ficar fora desse mercado por razões econômicas.

E sua solução para enfrentar esse desafio foi brilhante. Ele definiu que as duas colunas mestras de um sistema privado de telefonia no Brasil seriam a COMPETIÇÃO e, em paralelo, a UNIVERSALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS. Em outras palavras, as concessionárias privadas teriam que competir pelos segmentos de maior poder econômico, mas estariam obrigadas a prover seus serviços aos clientes que ofereciam menor potencial de lucros. Essa é a verdadeira chave do sucesso brasileiro e que faz com que tenhamos hoje serviços de telefonia à disposição dos brasileiros mais pobres, mesmo que isso não faça sentido econômico para as concessionárias privadas.

E os frutos desse caminho corretamente definido pelo governo FHC estão à vista de todos. Cito aqui um trecho de relatório da Anatel de maio de 2001. "Cresceu quase 120% o número de residências da classe C que passaram a contar com telefone fixo, e 638% o de domicílios das classes D e E, como conseqüência do avanço das telecomunicações no período pós-privatização".

Já no campo da telefonia celular, a prova mais marcante desse ganho nas camadas mais pobres da população foi a foto de um carroceiro em Ribeirão Preto, veiculada pela Anatel em 2002, com o número de seu celular pintado na parte de trás de seu humilde, mas vital para ele e sua família, instrumento de trabalho. E Lula é contra tudo isso...

LUIZ CARLOS MENDONÇA DE BARROS, 63, engenheiro e economista, é economista-chefe da Quest Investimentos. Foi presidente do BNDES e ministro das Comunicações (governo FHC).

http://www.e-agora.org.br/conteudo.php?cont=artigos&id=4528_0_3_0_M5

+++

Isso dá uma idéia sobre as privatizações e seus benefícios. Uma vez que o tema está em pauta, é sempre bom contar com a opinião de quem entende do assunto.

Harpia
22/10/2006, 08:01
Corrigindo:

Isto dá uma idéia sobre as privatizações das telecomunicações, sobretudo das companhias estaduais, e seus benefícios.

Favor não generalizar e falar que todas as privatizações foram eficientes e benéficas, pois não foram, ocorreram algumas necessárias e boas, e outras desnecessárias e prejudiciais.

João_Canabrava
22/10/2006, 09:39
Acho que cada caso é um caso.

O pessoal já tem um certo preconceito com privatizações, achando que é sempre ruim. Acho que o problema na era FHC não foram as privatizações em si, mas a maneira que tudo foi levado. FHC tentou fazer tudo de uma forma afobada.

Eu acho que deveria ter sido de uma forma mais estudada e sem pressa.

Mas a população não pode ter medo dessa palavra e deixar como o PT faz, terrorismo com essa palavra.

Harpia
22/10/2006, 12:25
Correto Cana, a maneira com que as coisas foram feitas foi totalmente equivocada, o uso do dinheiro recebido também,a de se ter critério e sapiência ao se tomarem determinadas ações, e nas privatizações não foi o que ocorreu.

Darkness
22/10/2006, 13:53
Mas a população não pode ter medo dessa palavra e deixar como o PT faz, terrorismo com essa palavra.

Terrorismo pra mim, é lembrar da "Petrobrax" das aves bicudas.

nigo
22/10/2006, 14:34
Favor não generalizar e falar que todas as privatizações foram eficientes e benéficas, pois não foram, ocorreram algumas necessárias e boas, e outras desnecessárias e prejudiciais.

cite quais?


por mim privatiza tudo e abaixa os impostos


os brasil vai crescer 10% ao ano

bombacha
22/10/2006, 18:29
Normalmente vem o argumento de que sumiram com o dinheiro das privatizações. Lula e o PT estão a 4 anos no poder e sequer se dignaram a iniciar uma investigação. O Lula, que diz que investiga tudo e corta da própria carne, sequer mexe um dedo pra ir mais além.

Gen.uK
22/10/2006, 18:34
cite quais?


por mim privatiza tudo e abaixa os impostos


os brasil vai crescer 10% ao ano

Não concordo em vender empresas como a Vale do Rio Doce, por exemplo..

É do solo brasileiro que estamos falando..

Darkness
22/10/2006, 18:49
Não concordo em vender empresas como a Vale do Rio Doce, por exemplo..

É do solo brasileiro que estamos falando..


Qnd eu falei isso eles disseram que depois da guerra Fria os setores de telecomunicações, mineração e energia deixaram de ser "estratágicos"..

Vai entender..

Harpia
22/10/2006, 19:26
Normalmente vem o argumento de que sumiram com o dinheiro das privatizações. Lula e o PT estão a 4 anos no poder e sequer se dignaram a iniciar uma investigação. O Lula, que diz que investiga tudo e corta da própria carne, sequer mexe um dedo pra ir mais além.

E normalmente ninguém consegue explicar qual o motivo de se venderem empresas lucrativas e nem para aonde foi o dinheiro.

Novamente o PSDB é um santo e está sempre certo.:?

Harpia
22/10/2006, 19:30
cite quais?


por mim privatiza tudo e abaixa os impostos


os brasil vai crescer 10% ao ano

Quer saber quanto a energia elétrica subiu após a privatização ?

Qual o motivo da venda da CVRD ? e da Geração da Eletrosul ? Eram lucrativas, vender por que ?

Vender com o dinheiro do BNDES é mole, o governo limpa as empresas, enxuga os quadros, empresta o dinheiro e vende. Assim até eu compro.

Vamos privatizar tudo, e quando você tiver que pagar 2.000,00 de plano de saúde nós conversamos de novo. :up:

bombacha
22/10/2006, 21:59
E normalmente ninguém consegue explicar qual o motivo de se venderem empresas lucrativas e nem para aonde foi o dinheiro.

Novamente o PSDB é um santo e está sempre certo.:?

Quem aqui disse que o PSDB é um santo e está sempre certo? Você por acaso vê o partido assim? Harpia, se não me engando, é a segunda vez que eu vejo você falar isso. Você não consegue ir além de um contraponto ululante do tipo "O PSDB também!!!"?

Novamente, eu vejo um argumento de compensação, como se, em qualquer assunto, eu fosse obrigado a ver alguma corrupção, como se eu fosse obrigado a ver alguma coisa de errado, como se a discussão fosse regida por uma equação matemática perfeita que fecha com o mesmo número de crimes em cada lado. Se é pra ficar nessa pobreza de troca de figurinhas, nessa discussão dualística entre bem x mal, então vamos discutir usando um placar. Quem fizer o maior escore de corrupções do "adversário" ganha.

Quanto a privatização, que estatal detentora de monopólio de um setor como o da mineração (caso Vale) não vai dar lucro? E, além da Vale, que outras privatizadas davam tanto lucro assim a ponto de isso ser tábua rasa para privatizar ou não?

A explicação é simples, clara e já foi discutida a exaustão. Sob a esfera estatal grassa a ineficiência, corrupção e desperdício de dinheiro público. No controle privado, essas empresas crescem, o número de funcionários aumenta, as exportações aumentam, as receitas com impostos aumentam mais ainda e, eventualmente, as privatizadas tornam-se referência em tecnologia. Desnecessário dizer que tudo isso não ocorreria caso a empresa ficasse sob o controle estatal.

Outro motivo é que, muitas vezes, é necessário despender muita grana para investir nessas empresas e modernizá-las, o que o Estado, normalmente, não tem condições de fazer. Teria que tirar outras áreas, como saúde, educação, segurança, etc, essas sim, estratégicas.

O dinheiro das privatizações foi usado para pagar a dívida pública. Se foi desviado, como os lulista alegam, então porque não investigam? Por que não vão atrás dos rombos? É simples: essa roubalheira que eles alegam não existiu, não, ao menos, da maneira que afirmam. (ressalva que deveria ser desnecessária: com o parágrafo acima, não digo obrigatoriamente que NÃO houve corrupção e sim que as acusações que hoje fazem não tem evidências algumas).

+++

Outro argumento que eu vi ae foi de "solo brasileiro". Francamente, pensar em soberania (imagino que seja essa a questão) hoje ao tratar e vender estatais não faz sentido. Poderia fazer na Guerra Fria, quando alguns setores eram estratégicos politicamente, mas isso hoje não faz sentido, a não ser na cabeça dos tupiniquins atrasados que ainda pensam como os populistas da década de 50, que tinham o mesmo discurso. Debater com alguém que usa argumentos de 50 anos atrás simplesmente não tem sentido.

João_Canabrava
22/10/2006, 23:01
Quer saber quanto a energia elétrica subiu após a privatização ?

Qual o motivo da venda da CVRD ? e da Geração da Eletrosul ? Eram lucrativas, vender por que ?

Vender com o dinheiro do BNDES é mole, o governo limpa as empresas, enxuga os quadros, empresta o dinheiro e vende. Assim até eu compro.

Vamos privatizar tudo, e quando você tiver que pagar 2.000,00 de plano de saúde nós conversamos de novo. :up:


Acho que a energia elétrica não é um bom parâmetro.

Porque nossa estatal petrolífera cobra preços absurdos nos nossos combustíveis?

Será que é o fato de ser estatal/privado? Acho que esse não é o principal critério ou justificativa para estes preços.

Darkness
22/10/2006, 23:31
Acho que a energia elétrica não é um bom parâmetro.

Porque nossa estatal petrolífera cobra preços absurdos nos nossos combustíveis?

Será que é o fato de ser estatal/privado? Acho que esse não é o principal critério ou justificativa para estes preços.

Preço absurdo??
2,40 ao litro é absurdo??
Queria que fosse qnto?? 1,40 como era com o barril a 40 dólares??

bombacha
23/10/2006, 06:16
A gasolina poderia ser muuuuito mais barata, não fosse o monopólio da Petrossauro. Aliás, não fosse o monopólio, o Brasil já seria independente na produção de frações leves há tempos.

João_Canabrava
23/10/2006, 12:04
Preço absurdo??
2,40 ao litro é absurdo??
Queria que fosse qnto?? 1,40 como era com o barril a 40 dólares??


Com certeza é absurdo.

Coisas que são engraçados até. Para petistas, somos auto suficientes, então porque nosso combustível tem que seguir a cotação internacional, sendo que teoricamente neste caso seríamos detentor de todo o processo (extração, refino e distruibuição) ? Isso já foi discutido e todos concordam que não somos autosuficientes.

Pegaremos nossos vizinhos, na argentina a gasolina chega a ser mais de 1,40 reais mais barato. Em porto alegre, hoje eu pago entre 2,65 e 2,75. Na fronteira tem por menos que a metade. Sim, tem o agravante de lá ter chumbo, isso não pode ser esquecido.

Mas vejamos nossa estatal. O lucro da estatal vai para onde? Vejamos o caminho. A estatal estrai e refina. Vende para as distribuídoras. Cobra um preço X, que vai para quem? Depois a distrubuidora coloca sua margem de lucro e vende para os postos. Neste ponto, o governo já fatura mais, denovo. Depois os postos colocam sua margem de lucro e vende, e o governo ganha mais.

Sabendo da importância e do impacto que combustíveis causam em nossas vidas, desde nosso carros, até os fretes de caminhoneiros que transporam arroz para a cesta básica, porque não baixar os preços em algum ponto? O governo lucra mais de 1 vez neste processo todo. Sendo estatal o governo poderia agir em qualquer um ponto deste processo, e não faz nada.

Se fosse privado, já teria caído o mundo na cabeça da petrobrás. A petrobrás está LUCRANDO MUITO. Porque não diminuir algo, seja lucro ou impostos se o governo tem essa possíbilidade? Não entendo esse 2 pesos 2 medidas, onde neste caso, a estatal é protegida e se fosse privada, nas mesmas circustâncias de hoje, todo mundo caíria de cabeça nela.

Outra coisa a ser falado, o monopólio da petrobrás faz bem? acho que não.. só faz para alguns, mas para o povo não...

Me lembro que havia uma refinaria privada, hoje morta mas parece que vai ser reativada em breve, chamada Ipiranga (aqui no RS). Será que se tivessemos concorrência, pelo menos no refino, não teriamos preços melhores para os usuários?

Harpia
23/10/2006, 13:42
Quem aqui disse que o PSDB é um santo e está sempre certo? Você por acaso vê o partido assim? Harpia, se não me engando, é a segunda vez que eu vejo você falar isso. Você não consegue ir além de um contraponto ululante do tipo "O PSDB também!!!"?

A impressão que passa em seus posts é esta, que tudo que o PSDB fez foi o correto e o mais brilhante, portanto acho que você acha que o PSDB é o Santo do país.


Novamente, eu vejo um argumento de compensação, como se, em qualquer assunto, eu fosse obrigado a ver alguma corrupção, como se eu fosse obrigado a ver alguma coisa de errado, como se a discussão fosse regida por uma equação matemática perfeita que fecha com o mesmo número de crimes em cada lado. Se é pra ficar nessa pobreza de troca de figurinhas, nessa discussão dualística entre bem x mal, então vamos discutir usando um placar. Quem fizer o maior escore de corrupções do "adversário" ganha.

Concordo, não podemos reduzir a discussão ao maniqueísmo, ambos os governos tem seus prós e seus contras, admito isto. Porém não é o que vejo aqui, vejo alguns dizerem que o governo anterior fez tudo certo e este tudo errado, então apenas estou retrucando na mesma dualística bem x mal, se mudarmos a discussão para algo do tipo erros e acertos de cada governo, mudo minha linha de postagem.


Quanto a privatização, que estatal detentora de monopólio de um setor como o da mineração (caso Vale) não vai dar lucro? E, além da Vale, que outras privatizadas davam tanto lucro assim a ponto de isso ser tábua rasa para privatizar ou não?

Sim, e se dava lucro qual o motivo da venda ?


A explicação é simples, clara e já foi discutida a exaustão. Sob a esfera estatal grassa a ineficiência, corrupção e desperdício de dinheiro público. No controle privado, essas empresas crescem, o número de funcionários aumenta, as exportações aumentam, as receitas com impostos aumentam mais ainda e, eventualmente, as privatizadas tornam-se referência em tecnologia. Desnecessário dizer que tudo isso não ocorreria caso a empresa ficasse sob o controle estatal.

Concordo que existe uma ineficiência intríssica as estatais,mas no meu ponto de visto e experiência, se deve a profunda intervenção do Legislativo nas suas estruturas, e não no modus operandi das mesmas. Se fossem tomadas as atitudes saneadoras (muito bem tomadas para falar) pelo governo antes de vendê-las, elas se tornariam tão eficientes quanto estão como privatizadas, sim a CVRD está bem mais eficiente hoje, mas poderia ter o mesmo modelo de gestão sendo estatal, bastaria (a grosso modo) abrir o capital, o governo seria detentor de 51%, bastaria. Parar com a infuência do congresso e dos políticos em geral. Tomadas as atitudes saneadoras necessárias e bloqueada as influências externas, poderíamos ter estatais tão eficientes quanto uma empresa privada. E mais bastaria abrir o mercado, acabando com o monopólio estatal em todas as esferas, que criaríamos uma saudável concorrência, tal qual o Cana propõe no setor petrolífico, com certeza isto nos levaria a uma saudável concorrência e provavelmente teríamos queda nos preços. Poderia ser sequido algo parecido ao atual modelo do setor elétrico, aonde as estatais concorrem com o setor privado nos leilões de geração e transmissão de energia, gerando uma concorrência que vem, paulatinamente beneficiando o consumidor. Neste modelo os lotes comercialmente mais rentáveis são disputados pela iniciativa privada e pelas estatais (muitas das vezes em parceria, as famosas PPP), e os menos rentáveis do ponto de vista privado, são arrematados pelas estatais que continuam assim na sua função de levar a energia aonde o poder privado não tem interesse.


Outro motivo é que, muitas vezes, é necessário despender muita grana para investir nessas empresas e modernizá-las, o que o Estado, normalmente, não tem condições de fazer. Teria que tirar outras áreas, como saúde, educação, segurança, etc, essas sim, estratégicas.

Se o estado tem dinheiro para prover linhas de crédito ao poder privado, por que não as estatais. Caso não saiba, por uma política estúpida do governo (anterior e atual), as estatais tem tremenda dificuldade em conseguir linhas de crédito no BNDES, ao contrário da iniciativa privada. Adotando o sistema de livre concorrência entre as estatais e o setor privado, com igualdades de condições econômicas, haveira dinheiro suficiente para tal. Quanto a ter dinheiro para as outras áreas, vide as privatizações anteirores, ficou nítido que o dinheiro é utilizado para outras finalidades (abatimento de dívidas, etc...) e não é transferido para as áreas de saúde, educação, etc... Então tal argumento, no meu ver, não procede, pois eliminamos uma fonte de lucro e o dinheiro proveniente é "jogado fora", seria como vendermos um apartamento alugado para usarmos o dinheiro para fazer uma festa de casamento, perdemos o apartamento, não temos mais o aluguel e gastamos o dinheiro em algo que não nos dará retorno algum no futuro.


O dinheiro das privatizações foi usado para pagar a dívida pública. Se foi desviado, como os lulista alegam, então porque não investigam? Por que não vão atrás dos rombos? É simples: essa roubalheira que eles alegam não existiu, não, ao menos, da maneira que afirmam. (ressalva que deveria ser desnecessária: com o parágrafo acima, não digo obrigatoriamente que NÃO houve corrupção e sim que as acusações que hoje fazem não tem evidências algumas).

Vide respostas acima, não acho que houve desvio deste dinheiro, o que houve sim foi um péssimo uso do mesmo, abateram dívidas que no final tornaram a crescer, e o dinheiro foi para o ralo (sim, a dívida estaria maior se não fosse abatida, mas a dívida continua e a empresa que gerava algum lucro não existe mais, tal como o exemplo do apartamento acima).

+++

[quote=bombacha;238017]Outro argumento que eu vi ae foi de "solo brasileiro". Francamente, pensar em soberania (imagino que seja essa a questão) hoje ao tratar e vender estatais não faz sentido. Poderia fazer na Guerra Fria, quando alguns setores eram estratégicos politicamente, mas isso hoje não faz sentido, a não ser na cabeça dos tupiniquins atrasados que ainda pensam como os populistas da década de 50, que tinham o mesmo discurso. Debater com alguém que usa argumentos de 50 anos atrás simplesmente não tem sentido.

Concordo, estes argumentos são passíveis de crítica sim. O que temos que pensar, retorno mais uma vez, é o motivo e a maneira com que foram feitas as privatizações.

Por exemplo, a Light no Rio de Janeiro, foi vendida de maneira atabalhoada e a preço barato demais, a EDF comprou, fez um monte de m****, e agora vendeu para um consórcio composto ente outros pela... CEMIG (estatal mineira). Então por que vendeu ? Somente deu lucro a EDF (que é uma estatal também, e uma senhora estatal francesa), que após espremer a laranja nos deixou o bagaço.

Existem setores aonde devemos abrir mão de empresas estatais sim, mas com um planejamento decente, e nos demais vamos abrir o mercado e criar uma saudável concorrência. O Monopólio, seja estatal ou privado é nocivo a qualquer economia.

bombacha
23/10/2006, 15:14
Sim, e se dava lucro qual o motivo da venda ?
Mesmo dando lucro, ainda assim pode valer a pena vender uma estatal. Ao vendê-la, o Estado se enxuga, se livra de uma pesada estrutura pública, evita focos de corrupção e ganha cobrando impostos e concessão para a empresa privada, sem ter que correr os riscos desses setores. Sem contar que, uma vez com empresa privada, o Estado pode instituir uma Agencia Reguladora para fazer valer os contratos e os serviços, ou seja, a empresa será fiscalizada e cobrada com muito mais eficácia de que se fosse uma estatal.


Concordo que existe uma ineficiência intríssica as estatais,mas no meu ponto de visto e experiência, se deve a profunda intervenção do Legislativo nas suas estruturas, e não no modus operandi das mesmas.

Como você disse, a ineficiência é intrínseca. Nada é capaz de eliminar essa ineficiência, só amenizar. Estatal é sinônimo de ingerência política nos seus assuntos internos e a única maneira de eliminar isso, infelizmente, é a privatização. Um serviço qualquer que uma estatal prestar, uma empresa privada em mercado, quase sempre, será capaz de fazer melhor e mais barato.


Se fossem tomadas as atitudes saneadoras (muito bem tomadas para falar) pelo governo antes de vendê-las, elas se tornariam tão eficientes quanto estão como privatizadas,

Para alguns anos depois se tornarem, novamente, ineficientes, para, então, serem sanadas e então...


Se o estado tem dinheiro para prover linhas de crédito ao poder privado, por que não as estatais.

Simples: porque elas não pagam. :D


Quanto a ter dinheiro para as outras áreas, vide as privatizações anteirores, ficou nítido que o dinheiro é utilizado para outras finalidades (abatimento de dívidas, etc...) e não é transferido para as áreas de saúde, educação, etc...

É transferido sim, mas de forma indireta. Assim como qualquer política monetária atinge questões sociais, mas de forma indireta, sem espalhafato. Donde você acha que está saindo o dinheiro que o Lula está gastando hoje a torto e à direito? Dos ajustes fiscais começados com FHC e continuados com ele. De uma medida financeira temos um reflexo social (e eleitoral :x)

Muitas vezes uma redução de imposto, uma medida financeira ou mesmo uma simples regra do Bacen é capaz de gerar mais benefícios do que programas sociais inteiros. Aqui em Porto Alegre governos se matam fazendo programas sociais, mas teriam efeitos sociais e econômicos muito melhores se diminuíssem o preço da passagem de ônibus metropolitanos em 20 ou 30 centavos. O mesmo vale para tantas outras cidades com extensas regiões metropolitanas.


Então tal argumento, no meu ver, não procede, pois eliminamos uma fonte de lucro e o dinheiro proveniente é "jogado fora", seria como vendermos um apartamento alugado para usarmos o dinheiro para fazer uma festa de casamento, perdemos o apartamento, não temos mais o aluguel e gastamos o dinheiro em algo que não nos dará retorno algum no futuro.

Não, seria vender o apartamento e pagar uma dívida enorme do cheque especial onde o juro seria maior que a renda gerada pelo imóvel. Sanada a dívida, teríamos dinheiro para pagar várias festas de casamentos e procriar mundo afora feito coelhos ensandeicidos.

Darkness
23/10/2006, 15:38
Com certeza é absurdo.

Coisas que são engraçados até. Para petistas, somos auto suficientes, então porque nosso combustível tem que seguir a cotação internacional, sendo que teoricamente neste caso seríamos detentor de todo o processo (extração, refino e distruibuição) ? Isso já foi discutido e todos concordam que não somos autosuficientes.

Não somos auto-suficientes mesmo, mas é óbvio que os preços internos são influenciados pelos externos..

É óbvio até, se o preço lá fora aumenta, quer dizer que o produto está mais escasso, logo a Petrobras (como empresa de capital "semi-aberto"), não pode segurar o rojão do preço sempre (muito embora ela já o faça muitas vezes).

Quanto a auto-sufuciencia é óbvio que não somos, mas é uma marca simbólica que perseguimos desde Vargas, apenas isso.

Harpia
24/10/2006, 08:45
Mesmo dando lucro, ainda assim pode valer a pena vender uma estatal. Ao vendê-la, o Estado se enxuga, se livra de uma pesada estrutura pública, evita focos de corrupção e ganha cobrando impostos e concessão para a empresa privada, sem ter que correr os riscos desses setores. Sem contar que, uma vez com empresa privada, o Estado pode instituir uma Agencia Reguladora para fazer valer os contratos e os serviços, ou seja, a empresa será fiscalizada e cobrada com muito mais eficácia de que se fosse uma estatal.

Me parece resolver o problema "tirando o sofá da sala". Porque não resolver os problemas que você citou ? É simples, basta que o congresso pare de exigir cargos e postos nas estatais em troca de favores políticos, simples. Todos os partidos fazem isto, sem excessão.


Como você disse, a ineficiência é intrínseca. Nada é capaz de eliminar essa ineficiência, só amenizar. Estatal é sinônimo de ingerência política nos seus assuntos internos e a única maneira de eliminar isso, infelizmente, é a privatização. Um serviço qualquer que uma estatal prestar, uma empresa privada em mercado, quase sempre, será capaz de fazer melhor e mais barato.

Mesmo problema de "retirar o sofá da sala", a ineficiência das estatais está atrelada a ingerência política dos partidos, o PSDB quando assumiu colocou pessoas em todas as estatais, mudou isto, mudou aquilo em detrimento a "prata da casa", o que o PT fez ? A mesma coisa, não muda em nada. Mais uma vez, basta parar com a influência política nas estatais que esta ineficiência pare totalmente, pois em termos de profissionais as estatais não devem nada a nenhuma empresa privada.

P.S.: escrever intríssica foi terrível, devia estar doidão, desculpe o erro.


Para alguns anos depois se tornarem, novamente, ineficientes, para, então, serem sanadas e então...

Basta parar com o samba dos plíticos.



Simples: porque elas não pagam. :D

Acho que você confundiu estatal com empresa pública.


É transferido sim, mas de forma indireta. Assim como qualquer política monetária atinge questões sociais, mas de forma indireta, sem espalhafato. Donde você acha que está saindo o dinheiro que o Lula está gastando hoje a torto e à direito? Dos ajustes fiscais começados com FHC e continuados com ele. De uma medida financeira temos um reflexo social (e eleitoral :x)

Ajuste fiscal não é venda de estatal, o dinheiro da venda foi utilizado de forma burra, ao meu ber, para amortizar uma dívida que continuou a crescer, o seja, não quitou a dívida, não tem mais as estatais e não tem mais o dinheiro.


Muitas vezes uma redução de imposto, uma medida financeira ou mesmo uma simples regra do Bacen é capaz de gerar mais benefícios do que programas sociais inteiros. Aqui em Porto Alegre governos se matam fazendo programas sociais, mas teriam efeitos sociais e econômicos muito melhores se diminuíssem o preço da passagem de ônibus metropolitanos em 20 ou 30 centavos. O mesmo vale para tantas outras cidades com extensas regiões metropolitanas.

Concordo, é por isso que precisamos de uma reformulação fiscal no país. Coisa que em 12 anos (FHC e Lula) o congresso não fez, nem tem vontade de fazer. Não culpo o FHC nem o Lula por isso, visto que é função do legislativo, e você acha que eles irão votar contra a própria fonte de renda deles ?


Não, seria vender o apartamento e pagar uma dívida enorme do cheque especial onde o juro seria maior que a renda gerada pelo imóvel. Sanada a dívida, teríamos dinheiro para pagar várias festas de casamentos e procriar mundo afora feito coelhos ensandeicidos.

Não seria melhor ter parado, arrumado e casa, enxugado as gorduras e pagar a dívida sem se desfazer de um ativo ? Basta sanear que as coisas funcionam direito. Como dizem os grandes economistas, dívida não se paga, se administra. Vender ativos para pagar dívida é um tiro no pé.

Agora coelhos ensandecidos :shock: Espero que não sejam iguais ao Coelho do BFC ;)

bombacha
24/10/2006, 15:04
Me parece resolver o problema "tirando o sofá da sala". Porque não resolver os problemas que você citou ? É simples, basta que o congresso pare de exigir cargos e postos nas estatais em troca de favores políticos, simples. Todos os partidos fazem isto, sem excessão.

[...]

A mesma coisa, não muda em nada. Mais uma vez, basta parar com a influência política nas estatais que esta ineficiência pare totalmente, pois em termos de profissionais as estatais não devem nada a nenhuma empresa privada.

Ha, simples?! Quanto otimismo. Isso não é nem um pouco simples. Pelo contrário, é a coisa mais difícil de se fazer. O governo cede cargos e influência em troca de apoio político para seus projetos serem aprovados no Congresso. Veja, para quebrar o monopólio da Petrobrás, foi necessário uma emenda constitucional, que exige uma maioria cavalar (3/5 de maioria absoluta nas duas Casas em dois turnos). O PSDB e PT usou desse expediente porque precisava aprovar suas reformas. É dessa forma que está consolidade o Estado brasileiro.

Essa é a realidade; é o mundo real, é o mundo do "ser", não o da teoria, não o do "deveria ser". As propostas de mudança devem partir da realidade, adequando-a e por ela sendo adequada, em um condicionamento recíproco. Você está gerando um político ideal, um Estado ideal, um mundo ideal e a partir disso está argumentando comigo. Estamos falando de coisas diferentes.


Ajuste fiscal não é venda de estatal, o dinheiro da venda foi utilizado de forma burra, ao meu ber, para amortizar uma dívida que continuou a crescer, o seja, não quitou a dívida, não tem mais as estatais e não tem mais o dinheiro.

Se não pagassem a dívida, ela estaria muito maior hoje!


você acha que eles irão votar contra a própria fonte de renda deles ?

É aí que entra a figura do político, do governante, que no exercício do mandato vai buscar objetivos que, se deixados ao sabor dos fatos, não são concretizados.


Não seria melhor ter parado, arrumado e casa, enxugado as gorduras e pagar a dívida sem se desfazer de um ativo ?

É o que se está fazendo. FHC começou a arrumação da casa; o PT, no início do mandato, seguiu com isso, mas agora, nos ultimos meses, começou a bater a sede de poder. De qualquer forma, não é tão simples assim, nem bonito, nem glorioso, tampouco fácil.

Além disso, existem gastos que são previstos pela Constituição e por lei. São gastos automáticos, onde o governante não pode meter a mão.


Como dizem os grandes economistas, dívida não se paga, se administra.

É, mas poucos pensam assim hoje. Ainda bem.

Darkness
24/10/2006, 15:08
Se não pagassem a dívida, ela estaria muito maior hoje!

LOL, dos males o menor??
Pq o Lula abaixou a dívida externa (e a interna em comparação ao PIB) sem precisar privatizar mesmo tendo pego o país com risco lá em cima e o blábláblá q tds já sabem??
P.S.: Não disse que isso foi culpa do FHC, não sou hipócrita.

bombacha
24/10/2006, 16:43
Lula está quitando a dívida pública porque está fazendo um ajuste fiscal violento. Se ele privatizasse algumas estatais, pagaria uma parcela da dívida ainda maior.

Uma coisa não elimina a outra. O governante pode privatizar o que bem entender, se não fizer ajuste fiscal e não procurar diminuir o déficit público, não adianta nada.

Sauron
24/10/2006, 18:36
Lula está quitando a dívida pública porque está fazendo um ajuste fiscal violento. Se ele privatizasse algumas estatais, pagaria uma parcela da dívida ainda maior.

Uma coisa não elimina a outra. O governante pode privatizar o que bem entender, se não fizer ajuste fiscal e não procurar diminuir o déficit público, não adianta nada.
Ok, se vc reconhece isso, então pq vem aqui perguntar pelas "obras de Lula"???

É óbvio ululante que com o ajuste fiscal rigoroso, aumento real de vencimentos para aposentados e servidores públicos, sobra pouco dinheiro pra investir em infra-estrutura.

Por outro lado, os ganhos em diversas áreas que não se pode quantificar em números, foram sentido por todos.

Deixo como exemplo o meu caso, quando terminou o governo FCH eu estava desempregado, vivendo com bicos na área de informática que me rendiam uns 300 reais por mês.

Foi nessa época que deixei de jogar bf1942, não tinha grana nem pra pagar a internet.
Depois de 9 meses de governo Lula, na onda da retomada do crescimento econômico, me empreguei, trabalhei na empresa durante 2 anos e meio e saí pra retomar minhas atividades de autônomo, onde ganho muito mais grana e tenho mais tempo livre.
Hoje eu tenho contrato fixo de manutenção com empresas, me mudei pra zona sul numa ótima localização, pago a academia do Fluminense, viajo muito pra Recife, São Paulo e Bahia e tenho acesso à varios luxos que antes nem pensava em imaginar.

Quando acabou o governo FHC a palavra que mais se ouvia era CRISE. Crise do apagão, crise econômica, crise mundial...

Hoje o que se ouve é CORRUPÇÃO. Ok, não estou nem um pouco feliz com ela, mas sei também que este é um mal que começa desde os níveis mais baixos até finalmente chegar na adminstração pública onde ela é mais deslavada.

A corrupção infelizmente, está arraigada em todos os partidos e níveis da política nacional, dificil encontrar-mos alguém desta espécie, que de alguma forma não chafurdaram na lama que se forma onde pisam ou atuam.

Portanto é incoerente atribuir-mos apenas ao PT a pecha de roubalheira e corrupção, algo que desde 1500 assolou nosso país. O PT e o próprio Lula erraram ao utilizar das mesmas armas que outros utilizaram e utilizam, pois foram amadores demais, num terreno onde predominam profissionais.

O PT e Lula erraram, ao pregar e utilizar o bastão da Ética, e se esfregar na lama, utilizando as mais patifurdias e amadorísticas formas de governar, caindo no conto do vigário, acreditando erroneamente naqueles que foram postos a legislar em prol das reformas, que os meios utilizados jamais viriam à tona.

Dentro deste cenário, grassado de corruptos e corruptores por todos os lados, eu olho o meu lado e o de pessoas ligadas à mim, onde impera o sentimento geral de que andamos pra frente neste governo Lula.

Pouco antes de virem à tona o escândalo do mensalão, a aprovação do Governo Lula batia em notórios 70%. Um número expressivo demais e que fala por si só.

Seria eu um incongruente se votasse contra Lula. Embora muito longe daquilo que seria o ideal, este governo foi bem melhor do que muita gente esperava.

Por isso Lula tem meu voto.

black_label
24/10/2006, 19:35
[off topic] Cacete Sauron, não me canso de olhar para essa DEUSA do seu avatar [/off topic]

Darkness
24/10/2006, 19:48
Dentro deste cenário, grassado de corruptos e corruptores por todos os lados, eu olho o meu lado e o de pessoas ligadas à mim, onde impera o sentimento geral de que andamos pra frente neste governo Lula.

Pouco antes de virem à tona o escândalo do mensalão, a aprovação do Governo Lula batia em notórios 70%. Um número expressivo demais e que fala por si só.

Seria eu um incongruente se votasse contra Lula. Embora muito longe daquilo que seria o ideal, este governo foi bem melhor do que muita gente esperava.

Por isso Lula tem meu voto.

Perfeito.
Assinado: Darkness

bombacha
24/10/2006, 23:47
Ok, se vc reconhece isso, então pq vem aqui perguntar pelas "obras de Lula"???

O que uma coisa tem a ver com a outra? Seria mais pertinente - e eu até esperava isso - você perguntar porque razão eu iria votar no Alckmin, depois de reconhecer esse feito do governo Lula.

Em relação a sua ascenção profissional, parabéns. Só acho que 99% do mérito é seu e 1% se deve à FHC e ao PSDB e não Lula e PT.