PDA

Ver Versão Completa : Geopolítica Super Tucano na Força Aérea dos EUA



nigo
31/12/2011, 09:09
http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2011/12/Super-Tucano_01-580x386.jpg (http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2011/12/Super-Tucano_01.jpg)
http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2010/11/vinheta-destaque-aereo.jpg


<TAGHW>São Paulo – SP, Brasil, 30 de dezembro de 2011 – A Força Aérea dos Estados Unidos anunciou hoje que selecionou o avião de combate Super Tucano, fabricado pela Embraer Defesa e Segurança, para o programa LAS (Light Air Support), ou Apoio Aéreo (http://www.battlecentral.xpg.com.br/forum/#) Leve. A aeronave, que será fornecida por meio de parceria com a Sierra Nevada Corporation, será utilizada para treinamento avançado em vôo, reconhecimento e operações de apoio aéreo.

</TAGHW>
“Estamos honrados com a oportunidade de oferecer ao governo norte-americano o melhor produto para a missão LAS, nesta parceria liderada pela Sierra Nevada Corporation”, disse Luiz Carlos Aguiar, CEO da Embraer Defesa e Segurança. “Nosso compromisso é avançar com nossa estratégia de investimentos nos Estados Unidos e entregar o Super Tucano no prazo e conforme o orçamento contratados.”


<TAGHW>Como especificado pela Força Aérea (http://www.battlecentral.xpg.com.br/forum/#) dos Estados Unidos, trata-se de um contrato no valor de USD355 milhões para o fornecimento de vinte aeronaves, assim como apoio terrestre para treinamento de pilotos, manutenção e outros serviços requeridos.

</TAGHW>
“Nós nos sentimos honrados por esta decisão e pela oportunidade de servir nosso país,” disse Taco Gilbert, Vice-Presidente de Desenvolvimento de Negócios de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (ISR) da SNC. “Nós acreditamos nos objetivos da missão Apoio Aéreo Leve e temos orgulho de poder apoiar os Estados Unidos em suas iniciativas de construção de parcerias no Afeganistão e em outros países no mundo. Os soldados americanos, os trabalhadores americanos e todos nossos aliados ganham com esta decisão.”
Sobre o Programa LAS

<TAGHW>A missão LAS exige uma solução já desenvolvida que ofereça versatilidade, capacidade e resistência operacionais necessárias em um ambiente de contra-insurgência, a um custo significativamente menor do que o dos jatos de caça. A aeronave (http://www.battlecentral.xpg.com.br/forum/#) deve oferecer ferramentas de inteligência, vigilância e reconhecimento (ISR); ter capacidade para uma grande variedade de munições (incluindo armas guiadas de precisão); e operar em terrenos com infraestrutura precária e em condições rigorosas.</TAGHW>
Sobre o Super Tucano

<TAGHW>O Super Tucano foi projetado especificamente para missões de contra-insurgência e atualmente é empregado por seis forças aéreas e possui encomendas de outras. A aeronave demonstrou ser extremamente capacitada para as missões LAS e ajudou o governo colombiano a combater as forças revolucionárias daquele país (FARC), além de iniciativas contra atividades ilegais em outros países. As mais de 150 aeronaves em operação no mundo acumularam 130 mil horas de vôo (http://www.battlecentral.xpg.com.br/forum/#), incluindo mais de 18 mil horas de combate sem nenhuma perda.</TAGHW>
Sobre a Sierra Nevada Corporation

A SNC (www.sncorp.com) é uma das companhias privadas dos Estados Unidos que cresce mais rapidamente, com base em sua reputação em desenvolver soluções tecnológicas ágeis, inovadoras e rápidas nos segmentos de eletrônica, aeroespacial, de aviônicos, espacial, propulsão, micro-satélites, aeronaves, sistemas de comunicação e energia solar. Sob a atual administração desde 1981, as sete áreas de negócios da SNC empregam mais de 2.100 pessoas em 27 localidades em 15 Estados norte-americanos – todos dedicados a fornecer soluções modernas para a dinâmica base de clientes da empresa. A SNC é o maior prestador de serviços para o governo dos Estados Unidos cuja proprietária é uma mulher.
Ao longo de aproximadamente 50 anos de história, a SNC manteve o foco em fornecer aos clientes o que há de melhor em tecnologia para atender às suas necessidades, obtendo um expressivo e comprovado histórico de sucesso. A empresa continua apoiando o seu crescimento no setor comercial, por meio de avanços internos e aquisições, incluindo participação nos mercados emergentes de energia renovável, telemedicina, nanotecnologia, cibernética e centros de operações de redes. Para mais informações, entre em contato pelo e-mail generalinfo@sncorp.com ou pelo telefone +1 (775) 331-0222.


FONTE: Embraer

nigo
31/12/2011, 09:10
só um adendo


com essa compra dos EUA, o Brasil deve comprar F18 Super Hornets para a nossa força aerea.

EE-T1
31/12/2011, 09:37
só um adendo


com essa compra dos EUA, o Brasil deve comprar F18 Super Hornets para a nossa força aerea.

É uma espécie de toma-la-da-cá sim, penso eu. Não confio muito nos yakkees mas esse esquema de "disponibilizar/transferência de tecnologia" não existe, se quiser um avião de combate tem que desenvolver do zero. Preferiria um negócio com um dos dois governos europeus pois penso que são um pouco mais "confiáveis", mas os F-18 tem muito mais oferta e segurança de uso continuo a longa data. Seja o que Deus quiser.

http://www.fab.mil.br/portal/capa/index.php?datan=07/10/2011&page=mostra_notimpol (FAB testa motor de combustão supersônica inteiramente brasileiro)

M. Galego
31/12/2011, 09:40
só um adendo


com essa compra dos EUA, o Brasil deve comprar F18 Super Hornets para a nossa força aerea.

Nigão, tá longe o 1 de abril. Já tá de ressaca de pré Ano Novo? Assim "mata papai"...

M. Galego
31/12/2011, 09:45
É uma espécie de toma-la-da-cá sim, penso eu. Não confio muito nos yakkees mas esse esquema de "disponibilizar/transferência de tecnologia" não existe, se quiser um avião de combate tem que desenvolver do zero. Preferiria um negócio com um dos dois governos europeus pois penso que são um pouco mais "confiáveis", mas os F-18 tem muito mais oferta e segurança de uso continuo a longa data. Seja o que Deus quiser.

http://www.fab.mil.br/portal/capa/index.php?datan=07/10/2011&page=mostra_notimpol (FAB testa motor de combustão supersônica inteiramente brasileiro)

Nesse mesmo link, aparece o lobby do suecos sobre a venda do Grippen NG para o Brazil. Meu, isso vai longe. Só vou acreditar que temos um avião mais ou menos novo quando eu o ver voando.

Já basta o fiasco da compra dos helicópteros russos que, ao meu ver, não vai passar desses já adquiridos.

Os nossos políticos estão interessados no dinheiro da Copa do Mundo, mesmo que não haja como defender o país no caso de alguma merda.

EE-T1
31/12/2011, 09:49
Nesse mesmo link, aparece o lobby do suecos sobre a venda do Grippen NG para o Brazil. Meu, isso vai longe. Só vou acreditar que temos um avião mais ou menos novo quando eu o ver voando.

Já basta o fiasco da compra dos helicópteros russos que, ao meu ver, não vai passar desses já adquiridos.

Os nossos políticos estão interessados no dinheiro da Copa do Mundo, mesmo que não haja como defender o país no caso de alguma merda.

Só para ilustrar o que vc está falando: http://portal.cruzeirodosul.inf.br/acessarmateria.jsf?id=339371 (Marinha do Brasil adia submarino nuclear).

M. Galego
31/12/2011, 10:19
Só para ilustrar o que vc está falando: http://portal.cruzeirodosul.inf.br/acessarmateria.jsf?id=339371 (Marinha do Brasil adia submarino nuclear).

Parei de ler quando chegou o seguinte trecho "trinta anos de atraso". Essa porra de país virou um feudo mesmo.

Não teremos aviões, nem blindados. Não teremos armamento, nem nada. O governinho bosta, formado por uma corja de revoltadinhos contra o militarismo, jamais - repito - jamais reequipará as FFAA.

Eles pararam no tempo. Acham que toda sombra de poste tem arapongas, que todo beco escuro ainda tem algum torturador. E todos são militares.

Então, essa ladainha vai continuar até o final da vida dessa raça, com o potencial enorme de se prolongar sobre nossas futuras gerações, porque nossas faculdades continuam ensinando sobre o passado de trinta anos atrás. É tudo culpa dos militares.

Daqui a trinta anos, quando o Brasil for parte de uma nova ordem mundial, comandada por algum grande conglomerado econômico, em que nossos filhos estarão trabalhando duro para conseguir um pouco de comida e água, alguém vai lembrar que alguma coisa ficou pelo caminho.

Não somos uma Nação. Estamos longe disso, e se distanciando mais. Não temos cultura, não temos saúde, não temos segurança. Culpa do que? Do revanchismo. Da mente retrógrada, vingativa de nossos governantes, que criaram uma versão mais temível do voto de cabresto, dos currais eleitorais.

Promovem a pobreza (mental, espiritual e material) pra promover a sua própria riqueza.

"Eu não tinha nada para comer, agora posso comprar uma carninha de vez em quando!" Lindo, se não fosse essa "carninha" a garantia da escravidão do povo em favor do "partidão" (seja ele vermelho, amarelo, azul ou verde, porque bandeira de partido - entenda-se ideologia - não vale nada "lá em cima", só serve como caminho pra chegar lá).

O Brasil nunca entrará em uma guerra. Assim como NUNCA ninguém atacaria o coração dos EUA. Quem aqui quer se candidatar à martir, quando algum maluco explodir um estádio durante a Copa?

Nem precisa ser estádio. Pode ser uma estação do metrô, ponto de ônibus, shopping center. "Ah, mas não dá para prever isso...". Certo, não dá para prever, mas um inimigo em potencial, que saiba que temos ao menos uma boa capacidade de reação, pensaria um pouco mais. A reação pode não vir imediatamente, mas em um tempo mais curto. Essa falta de estrutura de segurança pode antecipar qualquer tentativa sinistra. E a capacidade de resposta pode adiar. Nessa conta, muitas vidas podem ser sacrificadas ou poupadas. Mas...

É uma merda.

nigo
31/12/2011, 10:30
concordo com tudo que vc disse Galego

mas os EUA terem adquirido um produto estrangeiro para suas forças armadas indica algo

e nao é a excelencia da Embraer, mas sim pq eles precisam vender os seus produtos.


tenho certeza que essas duas vendas estão casadas.


e como vc pode ver, eu confio mais nos EUA do que na bosta de governo brasileiro petralha

Capelão
31/12/2011, 10:41
Que seja F-18, Grippen, qualquer coisa mas Mirage 2000 usado é que não dá mais! é uma vergonha esse programa FX!

Nom4d3
31/12/2011, 11:05
merda, perdi o texto que tinha escrito...

resumindo... Embraer ganhou a licitacao pois é quem tem o melhor produto, é quem tem o produto pronto e ja experimentado com milhares de horas de voo e combate. EUA nao esse tipo de produto. Mesmo depois de muito lobby pra um projeto proprio deles, a Embraer levou a melhor nessa.

Lembrando que os avioes serao produzidos lá, e com mão de obra de lá. A confirmação oficial de ontem foi apenas formalidade, não tinha como a Embraer perder essa.

BARALHAUM
31/12/2011, 11:13
Parei de ler quando chegou o seguinte trecho "trinta anos de atraso". Essa porra de país virou um feudo mesmo.

Não teremos aviões, nem blindados. Não teremos armamento, nem nada. O governinho bosta, formado por uma corja de revoltadinhos contra o militarismo, jamais - repito - jamais reequipará as FFAA.

Eles pararam no tempo. Acham que toda sombra de poste tem arapongas, que todo beco escuro ainda tem algum torturador. E todos são militares.

Então, essa ladainha vai continuar até o final da vida dessa raça, com o potencial enorme de se prolongar sobre nossas futuras gerações, porque nossas faculdades continuam ensinando sobre o passado de trinta anos atrás. É tudo culpa dos militares.

Daqui a trinta anos, quando o Brasil for parte de uma nova ordem mundial, comandada por algum grande conglomerado econômico, em que nossos filhos estarão trabalhando duro para conseguir um pouco de comida e água, alguém vai lembrar que alguma coisa ficou pelo caminho.

Não somos uma Nação. Estamos longe disso, e se distanciando mais. Não temos cultura, não temos saúde, não temos segurança. Culpa do que? Do revanchismo. Da mente retrógrada, vingativa de nossos governantes, que criaram uma versão mais temível do voto de cabresto, dos currais eleitorais.

Promovem a pobreza (mental, espiritual e material) pra promover a sua própria riqueza.

"Eu não tinha nada para comer, agora posso comprar uma carninha de vez em quando!" Lindo, se não fosse essa "carninha" a garantia da escravidão do povo em favor do "partidão" (seja ele vermelho, amarelo, azul ou verde, porque bandeira de partido - entenda-se ideologia - não vale nada "lá em cima", só serve como caminho pra chegar lá).

O Brasil nunca entrará em uma guerra. Assim como NUNCA ninguém atacaria o coração dos EUA. Quem aqui quer se candidatar à martir, quando algum maluco explodir um estádio durante a Copa?

Nem precisa ser estádio. Pode ser uma estação do metrô, ponto de ônibus, shopping center. "Ah, mas não dá para prever isso...". Certo, não dá para prever, mas um inimigo em potencial, que saiba que temos ao menos uma boa capacidade de reação, pensaria um pouco mais. A reação pode não vir imediatamente, mas em um tempo mais curto. Essa falta de estrutura de segurança pode antecipar qualquer tentativa sinistra. E a capacidade de resposta pode adiar. Nessa conta, muitas vidas podem ser sacrificadas ou poupadas. Mas...

É uma merda.


Texto brilhante.

Só discordo quando você diz que a culpa é do revanchismo. A culpa é dos militares mesmo. Eles deram o golpe em 1964 com a promessa de livrar o Brasil dos vermes que o degeneravam. Degradaram ainda mais o país e, pasmem, o devolveram aos mesmos crápulas que o comandavam em 1964.

BARALHAUM
31/12/2011, 11:15
concordo com tudo que vc disse Galego

mas os EUA terem adquirido um produto estrangeiro para suas forças armadas indica algo

e nao é a excelencia da Embraer, mas sim pq eles precisam vender os seus produtos.


tenho certeza que essas duas vendas estão casadas.


e como vc pode ver, eu confio mais nos EUA do que na bosta de governo brasileiro petralha

Desde a década de 1980 vem se tornando comum a aquisição de material bélico estrangeiro por parte dos Estados Unidos da América.

BARALHAUM
31/12/2011, 11:19
Que seja F-18, Grippen, qualquer coisa mas Mirage 2000 usado é que não dá mais! é uma vergonha esse programa FX!

Qualquer que seja o avião, o país estará indefeso. Não há legislação nem previsão do uso da força, quanto mais gente qualificada e com liberdade de ação. A 'Lei do Abate' não contempla aviões estrangeiros nem os sequestrados.

Provavelmente já se esqueceram que, há uns dois anos, um sujeito roubou um avião monomotor em Goiânia e o jogou num Shopping Center, acompanhado da filha pequena. Felizmente ele não matou ninguém em solo. Para a segurança nacional, seria bom que tivesse matado, pois mobilizaria para autorizar o abate. Esclareço que ele foi interceptado sobre área não povoada, mas a burocracia brasileira só autorizaria o abate bem depois de acabar o combustível de qualquer aeronave...

jonathan_zzpudimzz
31/12/2011, 14:48
Vai anular tudo igual ao KC-X: Hawker Beechcraft entra com petição relativa ao programa LAS da USAF

A Hawker Beechcraft Corp entrou com uma ação nesta manhã no Tribunal Federal de Reivindicações dos EUA questionando a decisão da Força Aérea de excluir seus aviões AT-6 da competição LAS (Light Air Support). A ação veio depois que a empresa foi notificada de que o General Accountability Office indeferira o seu protesto (http://cavok.com.br/blog/?p=44412), conforme divulgado aqui no Cavok.

“Nós achamos que fomos indevidamente excluídos da competição”, disse o CEO da Hawker Beechcraft Bill Boisture. “Nós não entendemos a base para a exclusão e, francamente, nós pensamos que temos o melhor avião”.
“Então, vamos tomar todas as vias disponíveis para nós termos certeza de que nosso produto é totalmente avaliado e reconhecido pelo que ele é. Há várias questões que aqui, francamente, não fazem sentido,” adiciona Boisture.
No último ano, a Hawker Beechcraft competiu com a brasileira Embraer para o fornecimento de 20 aviões em duas bases aéreas no Afeganistão e outras 15 para a “capacidade parceira de construção”, disse a Força Aérea. Esse número poderá crescer para 55 e chegar a US$ 950 milhões. As entregas deviam começar em 2013.

O contrato preservaria 1.400 empregos nos EUA, em 181 empresas de 39 estados, disse a empresa. Que inclui as 800 pessoas da Hawker Beechcraft, incluindo 300 empregos ligados ao sindicato mecânico, disse Boisture.
Em novembro, a Força Aérea informou a Hawker Beechcraft que ela havia sido excluído da concorrência no que é chamado de “exclusão pré-prêmio (http://cavok.com.br/blog/?p=42482).” A empresa vem tentando descobrir a razão para a ação.

“Nós não sabemos por que fomos excluídos”, disse Boisture. A empresa entrou com um inquérito junto ao GAO para uma revisão da exclusão e um protesto.

Na sua rejeição do protesto da Hawker Beechcraft, a Força Aérea disse que a empresa perdeu o prazo de três dias para apresentar um pedido de esclarecimento e um prazo de 10 dias para apresentar um protesto, disse o relatório do GAO.

“Isso é o que a Força Aérea está alegando”, disse Boisture. “Chega um ponto, porém, onde a verdade dos fatos parece ser mais importante do que a correção dos procedimentos.”

O Departamento de Defesa, disse ele, “tem um interesse muito grande, forte e longo no T-6, o predecessor do AT-6. Todos os pilotos militares de asa fixa nos Estados Unidos atualmente são treinados neste avião. ”

A exclusão da Hawker na competição deixa o Super Tucano da Embraer como o único candidato.

O GAO afirmou no seu relatório que a Força Aérea encontrou a oferta da empresa “tecnicamente inaceitável”, que resultaria em um “risco inaceitável para capacidade de missão.” Ele não deu mais detalhes. Esta formulação foi escrita na carta da Força Aérea para notificar a empresa Hawker Beechcraft que havia sido excluída da competição, disse Boisture.



http://3.bp.blogspot.com/-QqNj9t25czk/TdKDJasJZiI/AAAAAAAABJg/Ytpo4G6bFI8/s1600/AT6%2Brunway%2Bcredit%2BUSAF-thumb-560x388-126103.jpg



Boisture deu estas razões para que a decisão deve ter sido baseada em um problema menor. Primeiro, o AT-6 foi avaliado e teve a capacidade comprovada através de um programa de vários anos liderado pela Guarda Aérea Nacional.

A Hawker Beechcraft e seus parceiros têm trabalhado com a Força Aérea por dois anos para desenvolver parâmetros para a competição LAS e investiu mais de 100 milhões dólares se preparando para atender às necessidades da Força Aérea, disse ele.
Fonte: CAVOK (http://cavok.com.br/blog/?p=44443)

Observaçao: O avião fornecido pela empresa concorrente ainda está em fase de desenvolvimento sendo ele o AT-6 Texan II. SEgue uma tabela de comparação entre as duas aeronaves:

http://1.bp.blogspot.com/-Xlf7NzL-gr4/TsoiXbDzouI/AAAAAAAADF4/vgcS-riaUm8/s1600/at6-vs-A29_mission-requirements.jpg

SuperSoca
31/12/2011, 15:06
Haha, parece que tá ficando mais interessante a coisa.

Quem sabe acaba em pizza importada.

Nom4d3
31/12/2011, 16:21
Como eu ja disse antes, os caras nao tem um aviao pronto e demoraria anos pra por em pratica algum plano de voo...

Toda esse lobby em relacao aos empregos e mimimi, ja foi resolvido com a parceria entre embraer e a Sierra Nevada Corporation.

Kowalsky
01/01/2012, 22:10
Que seja F-18, Grippen, qualquer coisa mas Mirage 2000 usado é que não dá mais! é uma vergonha esse programa FX!

Mirage 2000 usado? Que eu saiba o Brasil tinha comprado eles novinhos.

Harpia
01/01/2012, 22:29
Mirage 2000 usado? Que eu saiba o Brasil tinha comprado eles novinhos.

Novinho aonde cara ?

Compramos o 2000C, 124 dos quais foram fabricado entre 83 e 90 (acho), para a força aérea francesa.

Kowalsky
01/01/2012, 22:34
Novinho aonde cara ?

Compramos o 2000C, 124 dos quais foram fabricado entre 83 e 90 (acho), para a força aérea francesa.

Ah... não sabia que era o C... achei que era mais recente a versão... xP

M. Galego
02/01/2012, 07:24
Texto brilhante.

Só discordo quando você diz que a culpa é do revanchismo. A culpa é dos militares mesmo. Eles deram o golpe em 1964 com a promessa de livrar o Brasil dos vermes que o degeneravam. Degradaram ainda mais o país e, pasmem, o devolveram aos mesmos crápulas que o comandavam em 1964.

Não em termos de tecnologia militar. Durante os anos 70 a meados de 80, tivemos um grande crescimento na indústria de armamentos, vide Avibrás e Engesa. Os primeiros contratos com a Aermachi, italiana, foram feitos nessa época, o que possibilitou o desenvolvimento de aviões e helicópteros.

O AMX-1 levou muito menos tempo para ser desenvolvido e colocado em operação, do que essa lenga-lenga dos FX. Seu projeto se iniciou nos anos 70 e, em meados de 90, já estava entregue. Alguém ouve falar dos AMX?

O atual goveno não gosta de militares, por conta de problemas que nada tinham a ver com a indústria, mas com ideologia - e sabemos bem quais foram. Agora que estão no poder, tratam as FFAA com o maior descaso possível, ao ponto de alguns governantes "posarem" usando fardas. Um tapa na cara das FFAA.

Quanto aos "vermes", eles sempre existiram e existirão. Acontece que a gana deles é maior do que o respeito pelo país. Transformaram o Brasil em uma empresa. Se der lucro, é deles. Se der prejuízo, é do povo e eles largam o osso, com aposentadoria garantida. E foda-se o resto. Vão sentar a bunda em algum lugar confortável e começar a lecionar em faculdades, escrever livros, dar palestras sempre dando pitacos no que os outros estão fazendo de errado, sem que eles mesmo tenham feito de bom.

Uma entrevista interessante com o Gal. Augusto Heleno


http://www.youtube.com/watch?v=XQXn2pWaFZ4&feature=fvwrel

Um dos grandes problemas do país é o "comprometimento ideológico", não importa o partido, nem a ideologia (que chamam de "programa de governo") a idéia é matar o que fizeram antes, não importa o quanto custe. Se algum governo iniciou um programa de submarino nuclear, os subsequentes vão parar, porque não é prioridade. A prioridade é saúde e educação, que nunca vão para a frente, pois a "prioridade" é tirar verba dessas pastas. Tivemos corte de mais de 30% da educação há alguns anos. Estão ameaçando com mais cortes. Na mesma ordem, os cortes na saúde. Foram 20% em dois mil e alguma coisa, mais 20% em 2012, se não me engano. Imagine se esses programas não fossem prioritários! Então, sendo assim, algo "não prioritário" como o submarino nuclear (ou qualquer coisa relativa às FFAA), vai ficar na gaveta ideológica e financeira por mais quarenta anos!

Pergunte para os militares atualmente, como está sendo a instrução de tiro prático com qualquer calibre e tipo de arma. Ou então, como está sendo a alimentação e o transporte. A manutenção dos carros...

A Embraer está indo para frente porque o governo está ganhando com isso. Senão, ela estaria sendo enforcada aos poucos como foram a Avibrás e a Engesa. Pior é ter que agüentar ministro da defesa dando parabéns e se pronunciando, como se tivessa ajudado em alguma coisa! Gozando com o pau dos outros! Se a Embraer não tivesse passado por um choque organizacional nos anos 90, dificilmente teria sobrevivido.

Se manteve à duras penas, lutando contra lobbies de todo o tipo. Ou acham que a Bombardier (canadense) está feliz com essa caminhada da empresa brasileira? A Bombardier sempre foi a "pedra no sapato" da Embraer. Até mais do que grandes empresas européias, como a Aerospatiàle, por exemplo.

borgonove
02/01/2012, 08:42
#tenso

COELHO
04/01/2012, 11:04
o vídeo resume tudo.

Transferência de tecnologia o caralho... isso é coisa de preguiçoso ou atrasado, e isso o Brasil tem a sorte de não ser em CONHECIMENTO, sendo bem dotado de material humano.

O que falta é INVESTIMENTO!
Se der grana, as boas cabeças sabem o que fazer... vide o Osório entre outros equipamentos e tecnologias.

a Embraer tem mais é que fabricar caças e sistemas aqui... se fechar esse acordo com os EUA, que seja pra aprender o BÁSICO que permita melhorar o que eles já usam e ter na próxima geração de caças (1a dela) um PRODUTO global tão bom quanto os que ela oferece na aviação comercial.


OBS. Só precisam ser mais cuidadosos com as parcerias, pq fazer blindado (Guarani) com a FIAT (IVECO) foi foda... quero ver quem vai fabricar o VEÍCULO MILITAR DE REBOQUE BLINDADO pra remover os "Guaranis" com problemas mecânicos dentro dos teatros de operação! :troll:

jonathan_zzpudimzz
05/01/2012, 10:22
http://3.bp.blogspot.com/-wl219PUZAKI/TqgegG5mRmI/AAAAAAAABMc/Vg5AXnRuTaU/s1600/Super-Tucano-FAB.jpg


O governo dos Estados Unidos suspendeu temporariamente a compra de 20 aviões militares Super Tucano, da Embraer, depois que uma rival abriu processo no país para contestar o resultado da licitação.

A Força Aérea dos EUA havia concedido o contrato de US$ 355 milhões em 22 de dezembro, mas, cinco dias depois, a Hawker Beechcraft anunciou decisão de contestar a licitação na Justiça, após sua aeronave AT-6 ser excluída da competição.

A Embraer havia divulgado na sexta-feira passada que tinha vencido a licitação para fornecer 20 unidades do A-29 Super Tucano, seu primeiro contrato com a Defesa americana.

"A concorrência e a avaliação de seleção foram justas, abertas e transparentes. A Força Aérea está confiante nos méritos de sua decisão de concessão do contrato e espera que o litígio seja rapidamente resolvido", divulgou em nota John Dorrian, porta-voz da Força Aérea norte-americana.

O contrato, em negociação há um ano, gerou resistências, principalmente entre congressistas do Kansas, Estado-sede da Hawker. Pedidos de investigação internacional para apurar eventual subsídio do Brasil à Embraer chegou a ser cogitado.

A avaliação é que um contrato dessa magnitude (em momento de crise econômica) e um setor tão sensível não podem chegar às mãos de uma empresa estrangeira.

AFEGANISTÃO

De acordo com a licitação, as aeronaves da Embraer serão fornecidas em parceria com a norte-americana Sierra Nevada Corporation (SNC) e serão utilizadas para treinamento avançado em vôo, reconhecimento e operações de apoio aéreo no Afeganistão.

O negócio inclui o fornecimento das aeronaves e do pacote de serviços, como treinamento de mecânicos e pilotos responsáveis pela operação do avião. A expectativa da empresa é conseguir vender mais 35 aviões para os EUA, o que pode elevar o contrato à cifra de US$ 950 milhões.

O A-29 Super Tucano, projetado para missões de contra-insurgência, atualmente é empregado por seis forças aéreas e possui encomendas de outras, segundo a Embraer.

Procurada pela Reuters, a Embraer preferiu não comentar o assunto.

VITRINE

Quando anunciou o contrato, a Embraer disse que o negócio será "uma grande vitrine". "Esse é o primeiro contrato com a Força Aérea dos EUA. Esse é um item sensível no maior mercado de defesa do mundo. Muitos países vão olhar isso", disse Luiz Carlos Aguiar, presidente da Embraer Defesa e Segurança.

Pelo contrato, a Embraer terá 60 meses para entregar esse primeiro lote, prazo que começa a contar já em janeiro de 2012. O primeiro avião terá de ser entregue em 2013.

Segundo o executivo da Embraer, a unidade de São José dos Campos, no Vale do Paraíba (SP), ainda será responsável por produzir grande parte do avião. A montagem final será feita nos EUA.

Com esse pedido, a Embraer alcança 200 encomendas do modelo Super Tucano (desenvolvido pela FAB em 1995 e exportado para vários países do mundo). Apenas 40 precisam ainda ser entregues (o que inclui o pedido da Força Aérea americana).

M. Galego
05/01/2012, 13:02
A Embraer faria o mesmo, se a situação fosse invertida. Afinal, em época de crise, "abocanhar" uma grana dessas... Vamos ver o que acontece.

Harpia
05/01/2012, 16:32
É verdade, mas ainda aposto minhas fichas no Tucano.

nigo
28/02/2012, 18:41
up

http://www.aereo.jor.br/2012/02/28/eua-cancelam-acordo-com-embraer-para-compra-de-super-tucano/


USAF cancelou o contrato com a Embraer.


aposto que uzamericanu já sabem que o Rafale venceu de vez aqui no Brasil.